Intervenções planejadas para a Baía de Todos os Santos, obedecendo as diretrizes que lhe dão transparência e suporte disciplinar.

Diretrizes

As intervenções planejadas pela Fundação Baía Viva para a Baía de Todos os Santos, obedecem a diretrizes que lhe dão transparência e suporte disciplinar, quais sejam:

  • Apropriação de forma positiva de valores da história e da cultura da baía e sua utilização na geração de renda, por meio da produção de bens e serviços, a exemplo de especialidades culinárias e alimentos locais, frutos da pesca e extrativismo (mariscagem) devidamente beneficiados, rotulados, qualificados e certificados, destinados aos mercados nacional e internacional, e utilizando redes especializadas de distribuição. Dentro deste mesmo contexto busca incentivar as artes navais tradicionais ainda praticadas em algumas localidades, mesmo que em menor escala;
  • Elevação da qualidade ambiental das ilhas, através da recuperação dos passivos ambientais urbanos gerados pela falta de saneamento básico, especialmente do esgotamento sanitário e da gestão de resíduos sólidos urbanos – lixo. A sanitarização das ilhas é condição sine qua non para a sustentabilidade de qualquer iniciativa de requalificação ou mesmo de investimentos em infra-estrutura. Sem condições sanitárias mínimas é impossível ampliar o leque de visitação turística para um segmento de maior poder aquisitivo.
  • Criação de condições estimulantes para o surgimento de propostas locais de desenvolvimento econômico e social, no sentido de formação de capital social, e incentivo à habilitação técnica local, que podem ser alcançadas através de iniciativas inovadoras, ainda que circunstancialmente promovidas de fora para dentro.
Nó