A preocupação com a formação e educação de jovens e adolescentes na Ilha dos Frades, levou a Fundação a montar a Escolinha Baía Viva – Esporte, Cultura e Educação, depois de avaliados os dados de uma pesquisa realizada. Os jovens pertencentes à faixa etária de 8 a 17 anos, viviam em situação de risco, principalmente nos fins de semana, expostos à sedução da bebida e da droga, além de um percentual de 30 por cento não freqüentar a escola. Foi montado um projeto piloto, envolvendo cerca de 50 jovens, na localidade de Costa de Fora, onde são desenvolvidas ações que buscam estimular as relações sociais e interpessoais. O balé, a capoeira, a dança moderna e o coral são utilizados para promover o desenvolvimento de várias questões fundamentais, inclusive as de natureza higiênica e educação ambiental.

A Escolinha – criada em fevereiro de 2010 – vem trabalhando em diversos aspectos importantes para o desenvolvimento dos jovens, detectando, por exemplo, quais os problemas de assimilação dos alunos para determinadas disciplinas, e assim promover os ajustes necessários em questões como o déficit de atenção e o analfabetismo funcional. Para pertencer à Escolinha é exigido do aluno que esteja matriculado em uma das escolas da região e que tenha freqüência e um bom desempenho escolar.

Os professores, todos voluntários, são recrutados na própria ilha e, uma vez por semana, durante todo o dia, são reciclados através de treinamentos e orientações.

Nó